sábado, 1 de outubro de 2011

Projetando a semana de 03 à 07/10: IBOV, Dólar e S&P500



IBOV, S&P500 e Dólar futuro seguem exatamente em linha com o estudo postado no último sábado, 24/09, com alguns poucos comentários, além é claro, da atualização dos gráficos conforme abaixo.

Obs.: Os estudos a seguir se baseiam principalmente nos números de Fibonacci e nas Ondas de Elliott.
____________________________
IBOVESPA

Pelo visto a tripla resistência se firmou realmente como o divisor de águas, região essa onde houve maior força vendedora (já esperado). Os objetivos para o "fundo do poço" continuam os mesmos: "...inicialmente ir buscar os 47.793 pontos (mínima de 08/08), que se perdidos projetará queda até os 37.850 pontos...".

Nos gráficos menores, temos a LAD do Ibovespa em linhas com o índice, sem apresentar divergências.

No semanal o tombo não foi tão grande (-1,70%), visto que os pregões dessa semana, com exceção do de sexta-feira, aconteceram com pouca amplitude (fechamento). Mesmo assim, o candle deixado nessa semana subtende-se a continuidade do movimento de baixa.

Se no semanal o tombo não foi nada demais, no mensal o IBOV perdeu 7,38% em setembro, fechando praticamente na mínima semanal. Não preciso nem falar que sugere novas quedas... .

Sobre reversão e consequentemente um mercado de alta, vou pegar emprestado o último parágrafo da postagem para o IBOV, feita no dia 24/09:

"...Alta? Compras para médio / longo prazo? Só após o rompimento da máxima de 01/09 (58.589 pontos), situação essa que pode sofrer alterações, para cima ou para baixo, na(s) próxima(s) semana(s)...".

____________________________
DÓLAR FUTURO

As incertezas dessa semana fizeram o dólar ganhar força após ter ido buscar os R$ 1,795 (mínima da semana), contra uma projeção de possível queda até os R$ 1,735, conforme postei no último dia 24. Com esse movimento de reversão (que também já era previsto, só que um pouco mais abaixo), o que se tem agora é a busca pela máxima de 22/09 (R$ 1,961), que ao se usar o Fibonacci Times Zones, nos mostra o 11/10 como o dia mais provável para se atingir esse objetivo.

Se rompido o topo de 22/09, os alvos para o dólar futuro estarão na casa dos R$ 2,33 e R$ 2,55 (final), o que significaria que a situação econômica mundial piorou e muito, aos moldes do Subprime.

"...se o cenário econômico mundial melhorar (pouco provável), a pressão sobre o dólar tende a afrouxar, o que pode diminuir o apetite comprador. E vice-versa..." .

A frase acima continua (e continuará) vigorando pelos próximos "capítulos".

____________________________
STANDARD & POORS 500

Sem grandes surpresas, assim como no restante do mercado (com raríssimas exceções), o S&P500 segue em linha com os últimos estudos, cada vez com mais força para buscar a projeção de queda (objetivo inicial) até os 1.075 pontos, onde finalizaria a onda 5, iniciando em seguida uma possível corretiva A-B-C.

O índice fechou a semana praticamente estável (-0,44%), com o VIX perdendo em definitivo a cunha (para cima), projetando assim novos movimentos de alta (alta no VIX = baixa nas bolsas).
.