quinta-feira, 5 de maio de 2011

Ibovespa para 05/05/2011



Após confirmar o topo deixando na última segunda-feira, o S&P500 caminha rumo aos 1.325 pontos, que é onde espero reversão dessa correção (de baixa dentro da tendência de alta), além de ser também o ponto de teste da LTA (mostrada na figura ao lado).

De qualquer forma, é bom ficar atento, pois após três pregões seguidos de queda e o teste na primeira retração ontem (61,8%), não me surpreenderia se surgisse força compradora a partir do pregão de hoje ou amanhã. Se tal situação acontecer, o nosso bom e velho IBOV deve reagir, gerando repique.

Um ponto negativo nessa manhã é que a Europa amanheceu azeda (FTSE100 -0,73%, DAX -0,59% e CAC40 -1,07%), em discordância com o fechamento positivo na Ásia (com exceção dos -0,23% do Hang Seng), o que pode pressionar um pouco a abertura do mercado americano.

Pontos de pressão para o S&P500 no pregão de hoje: Suporte: Não aplicável.  Resistência aos 1.350 pontos. O cenário continua de baixa.

Analisando o Ibovespa:

Com a perda dos 64.000 pontos no pregão de ontem, o que temos agora é a consolidação do movimento de baixa, com caminho livre para buscar os 59.150 em um primeiro momento (não sem antes termos repiques pela frente). Corroboram com esse movimento:
  • O fechamento quase na mínima do dia;
  • Forte volume de ontem.
Olhando para os indicadores, o meu IE sinalizou o 2º candle de esgotamento dos vendidos (candles em amarelo). Com isso, um repique (de alta dentro do movimento de baixa) no pregão de hoje (ou no de amanhã), a exemplo do que também espero no S&P500, estaria dentro do "previsível" (1). O H-MACD testou ontem o piso da cunha, que está plotada sobre o indicador, o que potencializa um eventual repique.
 
Pontos de pressão para o IBOV no pregão de hoje: Os extremos de ontem, ou seja, suporte em 63.550, resistência aos 64.800 pontos. O cenário continua de baixa.



Obs. 1
: Esperar um provável repique não sub-entende-se que o investidor deva se antecipar, efetuando uma operação comprada, enquanto o mercado e até mesmo o ativo estejam em claro movimento de baixa. É isso que o mercado chama de "pegar faca caíndo".

Operar "emoção" ou "achismo" é o caminho mais rápido para se quebrar no Mercado de Capitais.
.