quarta-feira, 4 de maio de 2011

Ibovespa para 04/05/2011




O pregão de ontem, com sinais de baixa (pelo menos no S&P500, já que o DJI fechou no 0x0) confirmou o topo deixado na segunda-feira no S&P. Com isso, a correção (de baixa, dentro do movimento de alta) deve ficar mais consistente, com ponto esperado de reversão nos 1.325 pontos (que coincide com o teste da LTA iniciada em 16/03).

Essa correção pode ser fortalecida hoje, devido ao forte fechamento em baixa do Shanghai Composite nessa madrugada (-2,26%), que vai levando de carona, morro abaixo, a Europa nesse momento.

Pontos de pressão para o S&P500 no pregão de hoje: Suporte: Não aplicável.  Resistência aos 1.350 pontos. O cenário continua de baixa.

Analisando o Ibovespa:

A forte queda de ontem deixou para trás o suporte dos 65.150, anulando a projeção que eu vinha plotando em verde nas minhas últimas análises. Com isso, o cenário de retração que venho falando desde 05 de abril (ao estilo Nouriel Roubini) ganhou força, tendo nos 64.000 pontos um divisor de águas.

Caso esse suporte venha a ser perdido, projeta queda até os 59.150 pontos, ou seja um downside de 8% (que fatalmente acionará boas oportunidades na mão de venda).

Mas antes desse cenário sombrio (para os comprados), espero alguma força compradora nos 64.000, que em parte estará (e está) coincidindo com alguns suportes de Blue Chips. Agora, se essa força compradora (se é que ela vai aparecer) não passar de um mero repique, sugiro um período sabático para quem só opera na mão de compra.

Olhando para os indicadores, o meu IE sinalizou ontem, o primeiro candle de enfraquecimento dos vendidos (plotado automaticamente em amarelo), o que corrobora para surgir força contrária nos 64.000 pontos. O H-MACD, de curto prazo, continua apresentando pequena divergência de alta (por ainda não ter rompido o fundo de 18/04). O volume veio na média, mas muito forte comparado ao de segunda-feira, e como dizem "...o volume confirma o movimento...".

Por fim, vejo o cenário interno com continuidade do movimento de baixa, mas com atenção redobrada pela possibilidade de se encontrar força compradora no suporte citado acima.
.