sábado, 13 de agosto de 2011

Você já teve a chance de se tornar um Milionário? Eu já...



O relato a seguir é longo, mas ao mesmo tempo curioso, ao apresentar um pouco da minha vivência na Bolsa de Valores e suas possibilidades. Nele trago um fato que vivi há exatamente um ano atrás... .

Sexta-feira 13 (de agosto de 2010). Nunca mais esquecerei esse dia.

Quem me conhece sabe da minha estreita relação com a Aviação (e com tudo que voa). Fui Militar da Força Aérea por 3 anos (92 à 94), além de ser Aeromodelista desde o ano de 2000. Com isso, naturalmente ao iniciar minhas atividades na Bolsa de Valores, em 2006, quatro empresas chamaram a minha atenção imediatamente:

VARIG (que não é mais negociada na BM&FBovespa), EMBRAER, TAM e GOL.

Até dezembro do ano passado, as três últimas faziam parte do meu "radar diário" (hoje não fazem mais, foram substituídas por outras empresas).

Pois bem, o fato acontecido que passo a entrar em detalhes, iniciou-se quando, em agosto de 2010, a TAM resolveu lançar uma "Subscrição de Ações" (o que é uma Subscrição?), criando a ação (o nome correto é "direito de subscrição") TAMM1 que  dava  direito  a  subscrever (comprar)  a  ação TAMM3 a R$ 25,69 (a unidade).

A conta era (e é simples): Por exemplo, se a TAMM3 valesse R$ 28,00 no mercado (na Bolsa), quem tinha a posse dos "direitos de subscrição" (quem havia comprado a TAMM1 a R$ 0,20 por exemplo) poderia comprar a TAMM3 à R$ 25,69, independente se o valor de mercado fosse mais caro (some-se a isso os R$ 0,20 pagos por cada ação TAMM1), o que daria um spread (como se fosse um "deságio") acima de 8% (nesse exemplo). Traduzindo em números: R$ 25,69 + R$ 0.20 = R$ 25,89, valor esse  menor do que os R$ 28,00 praticados (no exemplo) pelo mercado.

No caso da TAMM1, no dia 13, por volta das 15h, o deságio chegou a mais de 10%, ou seja, um excelente negócio.

Passei a monitorar a subscrição (TAMM1) na segunda-feira, dia 08, com intenção de comprar no fim do pregão da sexta-feira, dia 13, já que circulava um boato no mercado que a TAM divulgaria na sexta os resultados do 2T10 (2º trimestre de 2010), com um prejuízo considerável. Com essa possibilidade, minha intenção era comprar o mais barato possível, acreditando que fosse na casa dos R$ 0,25 (vinte e cinco centavos) cada TAMM1, o que me daria um bom lucro caso resolvesse subscrever, no dia 24/08, ou vender os direitos antes disso.

Mas  minha  intenção  era  outra:  Iria  sair da operação com 50% de lucro, ou seja, se comprasse a R$ 0,25, venderia a R$ 0,38, após alguns dias ou mesmo no último (24/08). Após essa definição, havia destinado apenas R$ 10.000,00 para alocar na operação com a TAMM1, valor esse que poderia ser usado total ou parcialmente para efetuar a compra.

Chegou o dia 13 e a bomba explodiu logo cedo, conforme a imagem ao lado (a matéria pode ser lida clicando aqui). Era tudo o que eu queria, pois essa notícia forçaria (como de fato forçou) os preços para baixo, levando a TAMM4 a perder mais de 5% no decorrer do pregão, e por consequência levando a TAMM1 ao patamar de R$ 0,11 (onze centavos).

Ao atingir tal valor (R$ 0,11), eu quase comprei os 100% do capital disponível (R$ 10.000,00). Cheguei a preencher a boleta de compra, a colocar a senha, mas no último minuto voltei atrás, e resolvi seguir o que havia previamente planejado: Iria esperar para comprar por volta das 16:50h (alguns minutos antes do fechamento do pregão),  pois naturalmente o preço tenderia a cair ainda mais, forçado pela queda da TAMM4, já que não havia porque a ação se recuperar (pelo menos não naquela fatídica sexta-feira 13). Face à forte queda que se viu no decorrer do pregão, minha expectativa de compra havia mudado, esperando abrir posição em  TAMM1 na casa dos R$ 0,08 ou menos.

Estava tudo pronto para efetuar minha compra, quando por volta das 16:30h explode outra bomba (por essa ninguém esperava), conforme a imagem ao lado (a matéria pode ser lida clicando aqui).

E a partir daí o que se viu foi o "efeito manada" se fazer valer, elevando absurdamente, em alguns poucos minutos, os preços dos ativos da TAM:

- A TAMM4 não só reverteu os 5% de queda, como fechou em forte alta no dia, com 27,66% de valorização, à R$ 34,89. Já quando o assunto é a TAMM1, essa foi surreal:

- Após o anúncio da fusão com a Lan Chilena, o ativo deu um salto "quântico", saindo dos R$ 0,11 (onze centavos) e rapidamente entrando em leilão, na casa dos R$ 0,40 (quarenta centavos), o que estava fora dos meus planos de compra, uma vez que já apresentava mais de 250% de alta nesse momento. O que me restou foi assistir o leilão se desenrolar, fechando o dia a incríveis R$ 8,00 (oito reais). Tudo isso em questão de 50 minutos (já que o leilão demorou uma eternidade para a acabar).

Resultado: Alta de impressionantes 7.172,73%.

Voltando às 15h dessa mesma sexta-feira, se eu tivesse efetuado minha compra quando armei a boleta, teria comprado 91.000 (noventa e uma mil) ações TAMM1, a R$ 0,11 cada uma, pelo qual teria pago o total de R$ 10.010,00 (dez mil e dez reais)...

...e poderia ter vendido (caso quisesse), ainda na sexta-feira, a R$ 8,00 cada ação. Fazendo as contas seriam: 91.000 ações x R$ 8,00 = R$ 728.000,00 (setecentos e vinte e oito MIL reais).

Na segunda-feira seguinte (e nos demais dias da semana), o preço da TAMM1 passou dos R$ 13,00. Se  eu  tivesse comprado e posteriormente vendido  a  um  valor abaixo dos  R$ 13,00 (por exemplo, à R$ 11,00) cada uma das minhas hipotéticas 91.000 ações, teria  transformado  R$ 10.000,00  em  R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais), em dois ou três dias, e seria um dos que tiraram a sorte grande naquela sexta-feira 13, como a pessoa da reportagem ao lado (a matéria pode ser lida clicando aqui).

Não foi a primeira vez que isso aconteceu na Bolsa, pelo contrário (é mais comum do que se imagina). Nem foi a última. Com certeza naquela sexta-feira, 13 de agosto de 2010, não era o meu momento de "bater a banca", com um "Royal Straight Flush".


Como diz o título dessa postagem: "Você já teve a chance de se tornar um Milionário? Eu já...". Sem dúvida foi a minha primeira grande oportunidade. Mas com certeza não foi a última.

Hoje, mais do que nunca, sei que tudo tem o seu tempo. Saberei esperar... .
.