segunda-feira, 21 de março de 2011

Ibovespa para 21/03/2011



A semana começou bem nos mercados asiáticos ao fecharam em alta nessa madrugada, com destaque para os 2,72% do Nikkei. Na Europa não é diferente e nesse momento os principais índices trabalham em alta, com destaque, para os 2,12% do principal índice de Frankfurt, o DAX.


Pelos lados de cá, nos EUA o Dow Jones se recuperou de um início de semana (passada) desastroso (3 pregões seguidos em forte baixa, fato esse que levou a perder a congestão que durou 14 pregões), ao fechar em alta na quinta e sexta passada, com destaque para o forte volume apresenta na sexta, o que corrobora para a continuidade do movimento de alta.


Basicamente não vejo no DJI um cenário de baixa e sim um movimento de correção dentro do tendência principal, que é de alta (ampliando o gráfico, ao lado, fica claro tal situação, principalmente com a provável reversão no ponto esperado por Fibonacci). A se confirmar esse cenário, a tendência é buscar o próximo topo e posteriormente os 12.400 pontos.

Os Índices Futuros seguem em alta considerável nessa manhã, já desenhando um dia positivo nos States.

Resumindo, o cenário externo nesse começo de semana é de de claro viés altista.

Analisando o Ibovespa:

Seguindo o movimento do DJI, na quinta e sexta passada o IBOV fechou no positivo, após ter testado a base da congestão. Mesmo com dois pregões seguidos de alta, ainda continuamos travados dentro da congestão que já dura impressionantes 22 pregões. E enquanto não romper um dos extremos operações de swingtrade e position ficam mais arriscadas. Houve ligeiro ajuste no ponto de suporte (65.463), mas continuamos com o mesmo ponto para a resistência: 68.225 pontos, valendo ainda o que venho colocando:

"...até romper um dos extremos (em fechamento) o mercado seguirá distribuindo violinada nas duas pontas (comprados e vendidos)...".

Olhando para os indicadores, meu IE seguem sem sinalização. H-MACD continua com sua divergência baixista (apesar dos preços estarem em congestão). O volume não veio como no DJI, e apesar de ser ascendente não mostra força para engatarmos o rompimento da resistência, pelo menos não por enquanto.

Por fim, o cenário interno segue neutro, mas com viés altista puxado principalmente pelo otimismo externo.
.